ABAV Collab destaca os benefícios do Pix para o setor do Turismo

Turismo

O mundo vive um processo de digitalização, intensificado pela pandemia da Covid-19, e isso exige uma transformação em todas as esferas. O painel Pix – novo meio de pagamento gerando ganhos para negócios de turismo, realizado nesta sexta-feira (2), durante o último dia de programação do ABAV Collab, apresentou o novo sistema de pagamentos instantâneos criado para atender às demandas tecnológicas do cenário atual e detalhou os ganhos que ele vai gerar para o setor do Turismo e para o consumidor final. O analista de Competitividade do Sebrae, Geraldo Henrique da Costa, mediou o debate que contou com as participações de Carlos Eduardo Brandt, chefe adjunto de Competição e Estrutura do Mercado Financeiro do Banco Central do Brasil (Bacen); de Frederico Levy, vice-presidente da Associação Brasileira das Operadoras de Turismo (Braztoa); e de Edmilson Romão, vice-presidente Financeiro da Associação Brasileira de Agentes de Viagem (ABAV).

Brandt abriu o debate apresentando o contexto atual, que justifica a necessidade da criação de um novo meio de pagamento no País. “Estamos vivendo uma revolução digital na nossa sociedade, uma completa transformação nas relações humanas e econômicas, e na forma como os negócios são feitos. Tudo isso está sendo profundamente alterado pelo uso da tecnologia, pois ela permite dinâmicas diferentes e inovadoras. Este cenário exige que tenhamos um meio de pagamento adequado para suportar esse processo intenso de digitalização que estamos atravessando”, explicou. A criação do Pix foi coordenada pelo Banco Central do Brasil e o lançamento será em novembro deste ano.

Entre as principais características do Pix, o representante do Bacen destacou a agilidade nos negócios, funcionamento ininterrupto, multiplicidade de possibilidades de uso, utilização intuitiva, informações agregadas para a automação de processos, segurança em todas as etapas das transações e ambiente aberto para todas instituições que ofertam contas transacionais para os clientes. Ele também destacou os benefícios específicos para o setor do Turismo, tais como os modelos de agendamentos garantidos para pagamentos em datas futuras, dinâmica de devolução simplificada e serviço de saque.

O representante da ABAV apontou os benefícios para as agências de viagem. “Primeiramente, destaco a redução dos gastos relativos aos custos bancários e à desburocratização, o que facilitará de forma exponencial o trabalho das agências de todos os portes. Além disso, aumentará o fluxo de caixa, pois o recebimento será imediato, e minimizará o risco das fraudes. Tenho lido muitas coisas boas a respeito da ferramenta, porém, ainda vamos aprender sobre quais oportunidades que ele nos trará nas situações de crédito e todas boas inovações para as agências de viagem”, comentou Romão.

Frederico Levy ressaltou os ganhos para as operadoras de turismo. “Toda inovação é vista por nós com bons olhos. Para as operadoras de turismo, principalmente as que operam no mercado internacional, há o dilema da cotação em moeda estrangeira e o Pix é uma solução que trará muito mais agilidade e nos dará segurança em relação aos riscos de volatilidade cambial. De maneira geral, não tem motivo para dar errado, pois essas são as nossas necessidades e com certeza acrescentará muito”, afirmou.

 

 

Fonte – Sebrae

Foto – Divulgação

 

Deixe uma resposta