MTur apresenta projeto para implantação de destinos inteligentes no país

Turismo

Com o objetivo de aumentar o desenvolvimento e a competividade dos destinos turísticos do Brasil, o Ministério do Turismo apresentou nesta segunda-feira (05.04), virtualmente, aos servidores e colaboradores da Pasta e de outros órgãos parceiros, o projeto “DTI Brasil”. A iniciativa pretende desenvolver espaços turísticos inovadores e acessíveis a todos no país e é mais uma iniciativa no sentido de alcançar maior desenvolvimento tecnológico no setor, além de apresentar destinos mais competitivos, atraentes e inovadores, tanto para os turistas quanto para seus moradores. A expectativa é de que 10 destinos do país contem com o piloto do projeto.

Abrindo a apresentação, o secretário Nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, William França, destacou a necessidade de iniciar este processo em nosso país. “Essa vai ser uma das principais demandas do Ministério do Turismo nos próximos anos. Então, estamos dando o ponta pé para, a partir desse modelo, indicar aos municípios interessados as estratégias necessárias para que possamos desenvolver este projeto em todo o país”, disse.

Este projeto, que terá um prazo de 9 meses, é fruto de uma parceria firmada pelo Ministério do Turismo junto ao Instituto Argentino Ciudades Del Futuro (ICF) da Fundação Ciudad de la Plata e com a Sociedade Mercantil Estatal para a Gestão da Inovação e as Tecnologias Turísticas (SEGITTUR), da Espanha, instituições pioneiras no segmento. Após esta apresentação será divulgada a relação dos dez destinos escolhidos para a realização do piloto, que foram selecionadas por critérios como a categorização no Mapa do Turismo.

A Diretora do Departamento de Inteligência Mercadológica e Competitiva do Turismo, Nicole Facuri, ressaltou a importância desta iniciativa para a construção de um projeto capacitado, de participação coletiva, e apto para a nossa realidade. “Esse momento é de sensibilização. Conto com cada área deste ministério e dos demais órgãos na idealização desse projeto. Elas serão fundamentais para a formulação de metodologias e estratégias para o desenvolvimento desta iniciativa”, concluiu.

Após a formulação de um diagnóstico, realizado pelo MTur, os municípios selecionados deverão traçar um plano de ação que contribua com a melhoria de pilares como a governança, a inovação, a tecnologia, a acessibilidade e a sustentabilidade em cada destino. “Essa ideia tem se tornado primordial neste momento, para fomentarmos políticas de estado eficazes e com a construção de um modelo metodológico sustentável em seu tripé: econômico, social e ambiental. Nessa perspectiva, nós teremos por um lado um viajante 4.0, mais exigente e interativo, e no outro, destinos mais competitivos, atraentes, inovadores e integrados ao digital, de forma a atender melhor esse novo turista”, ressaltoua Coordenadora-Geral de Produtos Turísticos, Tatiana Petra.

Em complemento a essa informação, a Coordenadora de Destinos Inteligentes e Criativos, Bárbara Blaudt Rangel, finalizou destacando as vantagens para os destinos e a importância da ação. “A metodologia deverá oferecer aos destinos ferramentas necessárias para que possam adaptar-se às novas tecnologias, às mudanças e exigências do mercado, respondendo às demandas de consumidores, cidadãos e empreendimentos turísticos, mas isso só será possível com o comprometimento de cada município que aceitar ser destino-piloto neste projeto”.

 

 

Fonte – Mtur

Foto – Divulgação

 

Deixe uma resposta