Ecoturismo Yanomami na proteção do território

Turismo

O povo Yanomami acaba de dar início ao Projeto Yaripo – Ecoturismo Yanomami, com uma proposta de turismo de base comunitária que é modelo de desenvolvimento sustentável para a Amazônia, valorizando duas de suas principais riquezas: os povos indígenas e a floresta. A expedição ao Yaripo, como os povos dessa etnia chamam o Pico da Neblina, leva o turista até o ponto mais alto do Brasil, numa travessia pela floresta amazônica acompanhada pelos Yanomami.

Protagonistas do projeto, os Yanomami são responsáveis pela gestão do ecoturismo, tendo como parceiros o Instituto Socioambiental (ISA), a Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (Foirn), a Funai e o ICMBio.

O projeto promove a proteção territorial, a geração de renda por meio de atividade sustentável, o protagonismo indígena e o fortalecimento cultural. Sob o aspecto da proteção territorial, apresenta-se como alternativa ao garimpo, que vem levando violência, destruição e morte para dentro do território indígena.

É importante que os não indígenas conheçam os Yanomami, sejam seus aliados. Esse contato reforça a pergunta sobre o modelo de desenvolvimento que queremos para a Amazônia: é um desenvolvimento sustentável que valoriza os povos indígenas e a floresta ou é o desenvolvimento que está sendo incentivado hoje que destrói a floresta, que destrói os rios, que contamina a natureza, que invade Terra Indígena e causa caos humanitário?
Diante das emergências climáticas, a resposta é só uma: a da economia sustentável. A gente tem que se posicionar hoje no Brasil diante das agressões que a floresta e os povos indígenas vêm sofrendo. E o projeto Yaripo nos inspira nesse sentido.

 

 

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação

Deixe um comentário