Secretário de Cultura do Amazonas se reúne com diretores da Funarte, Sesc e Banco do Brasil para estabelecer parcerias

Variedades

O secretário de Cultura do Amazonas, Denilson Novo, e o diretor dos Centros Culturais da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), Taciano Soares, se reuniram com as diretorias da Fundação Nacional de Artes (Funarte), Serviço Social do Comércio (Sesc) e Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), no Rio de Janeiro, para estabelecer parcerias e ações no ano de 2018. A circulação de artistas amazonenses em outras capitais, o uso dos espaços da SEC para receber propostas nacionais e ações para o interior foram definidas durante os encontros.

Em reunião com o presidente da Funarte, Stepan Nercessian, o diretor executivo, Reinaldo Veríssimo, e o diretor do Centro de Artes Cênicas (Ceacen), Ginaldo de Souza, foi aceita a proposta de uma Mostra de Artes Amazônica para espaços da Funarte em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, segundo Taciano Soares.

“O presidente se mostrou muito interessado em realizar a mostra e será um passo grandioso para que possamos levar nossos artistas a outros estados”, afirma Taciano, ressaltando que outra parceria estabelecida é que a Funarte realize espetáculos, oficinas e workshops nos espaços da SEC.

Interior – De acordo com Taciano Soares, a reunião com a gerente de cultura do Sesc, Márcia Tavares Costa, teve a intenção de aproximar a SEC da instituição para realizar projetos que podem beneficiar municípios do interior do Amazonas.

“Este encontro serviu para sensibilização de projetos onde a SEC pode ser parceira, como na literatura, no fomento à escrita, por meio de um projeto de dramaturgia que o Sesc tem, e outros que podem ser realizados no interior”, explica o diretor.

Centro Cultural Banco do Brasil – O secretário Denilson Novo e Taciano Soares participaram ainda de uma reunião com o diretor do CCBB no Rio, Fábio Cunha, onde também foi feita a proposta para que artistas do Estado possam circular em espaços do CCBB pelo Brasil. “O diretor foi receptivo e deu o aval para que eventos com os nossos artistas sejam realizados nos espaços do Banco do Brasil e para que recebamos espetáculos selecionados em propostas do CCBB. Vamos estudar a programação”, informa Taciano.

Ainda segundo o diretor de Centros Culturais da SEC, será apresentado um projeto à Fundação Banco do Brasil para que o Centro Cultural Usina Chaminé se torne um espaço coabitado pelo CCBB. “Isso aumenta nossas chances de circulação em eventos, de trabalhos que nossos artistas poderiam fazer e poderia colocar Manaus na rota de um calendário artístico nacional”, declara.

O secretário Denilson Novo avaliou como positivo o resultado das reuniões no Rio de Janeiro, que seguem a proposta da nova gestão de buscar parcerias para melhor ocupar os espaços culturais. “Essas propostas criam pontes para uma rota de circulação dos nossos artistas e de espetáculos para a capital”, disse.

Patrocínio em Centros Culturais – Com a transformação do espaço da Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa em um Centro Cultural e também com o Centro de Cultura Indígena, que funcionará no Prédio da Alfândega, outra proposta na reunião com o CCBB foi que a SEC apresentasse contrapartidas e um projeto, contendo os investimentos necessários, para que a Fundação Banco do Brasil também se tornasse co-patrocinador destes espaços. “Seria outro passo grandioso para nós. Nossa intenção é afinar discursos e conseguirmos este patrocínio”, ressalta Taciano Soares.

O diretor de Centros Culturais afirma que as reuniões vão continuar em 2018 para firmar as parcerias. “Já em janeiro, vamos esperar a programação destas instituições para os nossos artistas e saber quais eventos podem vir para cá”, conclui.

 

Fonte – Secom

Deixe um comentário