Idesam neutraliza as próprias emissões de carbono e recupera floresta na Amazônia

Variedades

Nos últimos anos, o Idesam vem expandindo as suas ações de campo junto a cooperativas e associações do interior do Amazonas, trabalho que pelas longas distâncias demanda deslocamentos que causam impacto no meio ambiente. Como forma de neutralizar as emissões de gases de efeito estufa dessas atividades, o instituto plantou mais de 1 mil árvores na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, pelo Programa Carbono Neutro Idesam.

Isso equivale a uma remoção de 278 toneladas de dióxido de carbono da atmosfera e a restauração de 10 mil metros quadrados de floresta amazônica. Dessa maneira, além cumprir seu papel de seguir na prática aquilo que prega em seu discurso, o instituto busca inspirar que mais instituições públicas e privadas sigam o exemplo e neutralizem suas emissões.

Atualmente, por mobilizar toda uma rede estratégica de empreendedores sociais que buscam soluções para a Amazônia, o instituto percebeu um aumento nas suas emissões, puxado principalmente pelos deslocamentos aéreos e terrestres. O relatório completo com informações detalhadas das emissões pode ser acessado neste link.

Segundo Talia Bonfante, coordenadora de novos negócios do Idesam, o aumento das emissões de carbono pelo instituto é decorrente de dois importantes projetos ligados ao Idesam, a PPA e o Cidades Florestais, que tiveram uma agenda intensa pelo interior do Amazonas e fora do Estado.

“Na PPA foram quatro grandes encontros de capacitações, rodadas de Captação de Recursos com investidores (…) E também o Projeto Cidades Florestais, que executou atividades de capacitações e assistência técnica em sete diferentes municípios do Amazonas, como também empregou apoio na coleta de produtos florestais não madeireiros, no manejo florestal e no transporte. Essas atividades demandaram logísticas aérea, terrestre e de barco, implicando no aumento de emissões, apesar dos esforços internos de promover reuniões virtuais e otimização logística e de uso de combustível ”, enfatiza Bonfante.

Sobre o PCN

As atividades de neutralização de suas emissões institucionais referente a 2019 foram promovidas pelo Programa Carbono Neutro (PCN), que é um dos eixos para alcançar a missão do Idesam de promover a valorização e o uso sustentável de recursos naturais na Amazônia, além de buscar alternativas para a conservação ambiental, o desenvolvimento social e a mitigação das mudanças climáticas.

O PCN nasceu em 2010, com o objetivo de conectar os grandes centros urbanos às florestas, permitindo que pessoas, empresas e iniciativas neutralizem impactos e geram no planeta, cuidando também das pessoas que protegem nossas florestas.

 

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta