Pesquisa aponta crescimento na busca por produtos de origem vegetal ou até sintética

Variedades

O Dia Mundial Sem Carne é comemorado em 20 de março desde 1985. A data vem ganhando destaque, já que uma alimentação com foco na redução de consumo de proteína animal é uma das tendências do segmento de alimentação para 2021. Segundo um estudo realizado pela Galunion Consultoria de Food Service, o chamado movimento plant-based (substituição de alimentos de origem animal por alternativas vegetais) ganhou força: 33% dos consumidores afirmam que as novidades apresentadas por produtos para uma dieta à base de alimentos vegetais integrais são tendências. O destaque nesta área é que muitas propostas buscam uma composição que traga o sabor, aroma e textura característicos da proteína animal. Além do já conhecido hambúrguer – presente no varejo e redes de fast food -, tem chegado ao mercado opões como patties de hambúrguer, almôndegas, linguiças e, em breve, até aves, peixes e ovos.

Segundo Simone Galante, fundadora e CEO da consultoria, o movimento plant-based teve início em 2012 com as tiras de vegetais que representavam as de frango, mas só em 2016 que a tendência ganhou potência com a chegada do hambúrguer. De acordo a especialista, nos Estados Unidos, país responsável pela criação do Dia Mundial Sem Carne, 56% dos supermercados contam com prateleiras exclusivas para produtos de origem vegetal e cerca de 4% do total de vendas são representadas por estes tipos de alimento.

Para comentar sobre como a o plant-based vem evoluindo com o passar dos anos e a importância dos produtos com origem vegetal para o segmento de alimentação, indico a Simone Galante como especialista do Food Service.

 

Fonte – Ascom

Foto – Divulgação

 

 

Deixe uma resposta