Como driblar o consumo de açúcar

Variedades

Açúcar e diabetes sempre foram temas muito discutidos e estudados na área da geriatria, e uma das medidas mais importantes tomadas até então tem sido desestimular o seu uso (assim como o de sal) à mesa, a fim de se controlar o consumo dos mesmos. Pois com o passar dos anos ocorrem mudanças naturais na intensidade de percepção do sabor, fazendo com que a pessoa idosa passe a adicionar mais açúcar, sal e outros condimentos para temperar os alimentos até alcançar um sabor que agrade ao paladar, o que pode acabar representando um abuso na quantidade e problemas para a saúde. É nessas horas que temos que tomar ainda mais cuidado.

Uma das recomendações para melhorar este aspecto foi prestar atenção no ato de mastigar e optar pela adição de outros temperos à comida, como alho, cebola e ervas, sempre natural, de preferência plantados em casa. Mas as orientações e cuidados com a alimentação são diferenciados. Por exemplo, os diabéticos têm uma produção diminuída de insulina e isso faz com a glicemia após as refeições aumente quando existe a ingestão de carboidratos, que são todos os alimentos que se transformam em açúcar no sangue. A insulina funciona como se fosse uma chave na fechadura da célula, permitindo a entrada de glicose.

O uso de fibras dos cereais, das farinhas integrais, verduras, alguns legumes e frutas, principalmente com casca, ajuda a lentificar a absorção do açúcar dos alimentos e diminuem a absorção de gorduras, facilitando o controle do diabetes.

Essas questões foram debatidas numa conversa online recente, em junho/2021, com duas especialistas em saúde, a endocrinologista Simone Siqueira Meirelles e a nutricionista especialista em Clínica, Gastronomia e Comportamento Gislene Rocha. Conversamos e orientamos os ouvintes como driblar o consumo de açúcar nos dias atuais. E algumas dicas foram lembradas para os idosos e diabéticos, que repasso a seguir:

– Importantíssimo ler sempre o rótulo de alimentos e medicações.

– É comum na terceira idade a falta de consumo de água. Para prevenir a desidratação é importante estimular a busca e o consumo do líquido entre as refeições. Normalmente, os idosos costumam afirmar que não sentem sede ou que a água não tem gosto. Na live foi mostrado e ensinado a preparar água saborizada com frutas, folhas de hortelã, manjericão, alecrim etc, assim como especiarias: canela, cravo, anis estrelado etc.

– Faz também parte dos hábitos de vida saudáveis de todas as pessoas e do tratamento da diabetes, a prática de atividade física moderada e regular para a obtenção e manutenção de um peso corporal saudável. Sendo assim, com os dias cada vez maiores e soalheiros, fica a sugestão de uma caminhada de 30 minutos ou mais.

A seguir, convido os leitores a reverem alguns conceitos sobre alimentos benéficos para todos e, mais ainda, para quem tem diabetes.

– Consumir alimentos se possível integral e orgânicos (Arroz, Macarrão, Pães etc)

– Nas preparações caseiras de pães, tortas, bolos, macarrão, utilize 50% de farinha integral e o restante farinha branca.

– As leguminosas, como o grão, o feijão, lentilhas, ervilhas, favas e soja, são alimentos muito ricos do ponto de vista nutricional. Quando consumidos regularmente, estes alimentos permitem controlar melhor a glicemia e prevenir as doenças cardiovasculares. Podem ser desfrutados de diversas formas em pratos quentes, frios, saladas e entradas. São alimentos ricos em proteínas e são uma excelente fonte de fibra, o que pode ajudar no controle de apetite e do peso corporal.

– O azeite é composto basicamente por ácidos graxos monoinsaturados, com elevados benefícios para a saúde. Este tipo de gordura contribui para a redução dos níveis de LDL – colesterol (aumenta o risco de doenças cardiovasculares) e aumento dos níveis de HDL-colesterol (protetor das doenças cardiovasculares). Sendo assim, o azeite surge como uma fonte de gordura saudável.

– A batata-doce é muito rica em fibra solúvel, faz com que o açúcar no sangue eleve-se de forma mais lenta e aumenta a sensação de saciedade, podendo ser consumida em pequenas quantidades por pessoas com diabetes e que estejam realizando uma dieta para baixar de peso. Legumes (exemplos: abóbora, cenoura e brócolos). A abóbora é rica em vitamina A e em carotenoides que vão atuar como antioxidantes e podem prevenir problemas associados ao envelhecimento como as cataratas e a degeneração ocular.

– A cenoura é rica em fibras solúveis, caroteno, potássio e fitoquímicos. Os brócolos são pobres em calorias e muito ricos em nutrientes (sais minerais, vitaminas, fibra), com muitos benefícios para a saúde, principalmente para evitar doenças inflamatórias e cardiovasculares.

-Iogurtes. Os produtos lácteos são excelentes fontes de proteína, vitaminas e minerais como o cálcio e o fósforo. São alimentos que contêm probióticos (microrganismos), que exibem um efeito benéfico sobre distúrbios e infeções intestinais. Das inúmeras vantagens do consumo de probióticos, a ação que mais se destaca é a promoção do trânsito intestinal regular. Antes de escolher o iogurte, é muito importante consultar a informação nutricional, presente nos rótulos, e optar por iogurtes magros e sem adição de açúcares. Indicamos e doamos o Kefir para muitas preparações.

– Frutos oleaginosos: Os frutos oleaginosos são as nozes, amêndoas, pinhões, avelãs, caju, entre outros, muito ricos em gorduras insaturadas ómega 3 e ómega 6 que tem a função anti-inflamatória. Se consumirmos estes frutos nas refeições intercalares, com outros alimentos, como por exemplo uma peça de fruta, pode ajudar a controlar a glicemia e o apetite até a refeição principal.

– Frutas: O abacate é uma fruta que contém predominantemente ácidos graxos monoinsaturados, que podem ajudar a controlar os níveis de triglicérides e colesterol presentes no sangue. Este fruto é muito rico em fibras, que vão ajudar no trânsito intestinal, melhorar a digestão e aumentar a sensação de saciedade.

– Os frutos vermelhos englobam os morangos, framboesas, mirtilos, amoras, cerejas e groselhas. São ricos em vitamina C e fibras. São também um excelente antioxidante que vai ajudar as células a renovarem-se. Devido à grande variedade destes frutos por ano, opte por adquirir frutos vermelhos da época, para além de mais saborosos são também mais econômicos.

– A aveia é muito rica em fibras solúveis, principalmente betaglucano. Esta fibra tem uma grande vantagem no nível da saciedade, o que vai ajudar a mantermos saciados por mais tempo e com energia. Vai ajudar no controle da glicemia, trânsito intestinal e na redução do colesterol. Opte por escolher os flocos de aveia integrais e sem adição de açúcares.

– Os peixes são ricos em ácidos graxos polinsaturados, os ómegas 3, que são essenciais ao organismo, mas temos de obter exclusivamente a partir da nossa alimentação, uma vez que o nosso organismo não consegue produzir. O consumo de ómega 3 tem um efeito protetor em relação às doenças cardiovasculares e diabetes tipo 2, diminuição da pressão arterial, da concentração plasmática de triglicérides. Recomenda-se o consumo de peixes (como o atum, cavala, salmão e sardinha), duas vezes por semana.

– Banana verde – Biomassa e Aproveitamento de Cascas. A massa da banana verde é um produto da banana verde cozida com casca e tem sido utilizada na alimentação devido a sua boa quantidade de fibras, alta fermentabilidade e reduzido valor energético (Lajolo et al, 2001). Adicionalmente, é fonte de amido resistente e tem baixa concentração de açúcares, podendo ser empregada como complemento na formulação de receitas para reduzir lipídios e/ou açúcares da preparação (Cardenette et al, 2006).

O amido resistente é definido como o amido e produtos de hidrólise de amido que não são absorvidos no intestino delgado e tem sido identificado como principal substrato para a microbiota intestinal humana. Sua participação é semelhante à da fibra alimentar, representando fonte de carboidratos não disponíveis para a microbiota colônica (ASP et al, 1994). Além das vantagens funcionais da massa de banana verde, outros fatores mostram a importância de seu uso no plano alimentar. Ela é rica em minerais, como o potássio, fósforo e cálcio, é um alimento com alta produção, já inserido nos hábitos da população, de fácil acesso, baixo preço e uma alternativa de substituição ao glúten para pacientes celíacos.

Pode ser adicionada em preparações salgadas e doces e auxiliar na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Assim, se você quiser conhecer alguns benefícios para sua saúde com o uso da Banana Verde, busque alguns estudos de pesquisa na área da saúde, nutrição em especial para diabetes.

Lembre-se, para uma alimentação equilibrada, saudável e mais indicada para tratar doenças como Diabetes, o importante não é apenas excluir ou proibir os alimentos, é importante também aumentar o consumo de alimentos mais naturais e preparar comida fresca e caseira. Muitas vezes temos a necessidade de aumentar o consumo de doces por falta de uma alimentação carente em nutrientes, fibras e vitaminas. O doce também tem um fundo emocional muito forte e que precisa ser olhado com mais atenção para um tratamento mais eficaz.

O importante é se conscientizar que o nosso corpo precisa ser tratado de uma forma constante com bons alimentos, sono, atividade física, lazer, hidratação, tudo em equilíbrio. Também é importante treinar o paladar para novos sabores, muitas vezes temos uma tendência de escolher os alimentos que tenham mais sabor adocicados e ainda acrescentar mais açúcar. Comece avaliando o seu paladar e lembre-se que o paladar é o filtro da saúde, como disse Gislene Rocha.

A forma como a família e os profissionais de saúde tratam os diabéticos ou driblam o açúcar, precisam ser trabalhadas, na maioria das vezes existe uma pressão a proibir muitos alimentos, o que pode gerar complicações no comportamento alimentar e uma má adesão ao que realmente é importante enquanto saúde física e mental. Por isso, antes de proibir ou atacar a pessoa em questão, busque realmente entender quais são os seus valores alimentares, baseados na cultura familiar, sociedade que vive, faixa etária e o que ele sabe e sente sobre os alimentos. Conscientizar vem antes de qualquer mudança alimentar.

Fonte – Portal do Envelhecimento

Foto – Divulgação

 

 

Deixe uma resposta