Descarte de lixo eletrônico será tema de audiência pública em comissão do Senado

Variedades

Uma audiência pública interativa esta agendada para terça-feira (25), a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) vai discutir o descarte e reciclagem de lixo eletrônico.

Foram convidados para participar da audiência o padre Celito Moro, professor da Faculdade Palotina de Santa Maria (Fapas); o presidente da Cooperativa de Trabalho de Recolhimento de Inservíveis Reciclados (Crir), Marcus Vinicius Barbosa Nunes; o diretor institucional da Enel Brasil/Companhia Energética do Ceará, José Nunes de Almeida Neto; a diretora de sustentabilidade da Enel Brasil, Marcia Massotti de Carvalho; a vereadora Professora Celita; a representante do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis do Distrito Federal (MNCR-DF), Aline Sousa da Silva; a advogada Valéria Quevedo Garcia; a professora Marta Tocchetto; a coordenadora do Núcleo de Coordenação de Ações Socioambientais (NCAS) do Senado Federal, Karin Kassmayer; e representantes da Associação Nacional dos Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis (Ancat) e do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda).

O requerimento para a audiência é do senador Paulo Paim (PT-RS), presidente da CDH.

São considerados lixo eletrônico, computadores, celulares, tablets, torradeiras, televisões, pilhas, baterias, impressoras, teclados, mouses e outros.

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) dão conta que mais de 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico e tecnológico são descartados incorretamente em todo o mundo.

No Brasil, o descarte anual está em torno de 97 mil toneladas métricas de computadores de computadores; 2,2 mil toneladas de celulares e 17,2 mil toneladas de impressoras. Em 2014, a ONU declarou que o Brasil produziu 1,4 milhão de toneladas de lixo eletrônico.

 

Fonte – Agência Senado/Pnuma

Edição – Coopnews

Foto – Divulgação