Hortas pedagógicas serão implantadas em escolas do Maranhão

Variedades

O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) vão implantar a primeira etapa do projeto piloto Hortas Pedagógicas em duas escolas públicas de São Luís, capital do Maranhão. A Unidade de Educação Básica Jackson Lago, localizada na área urbana, e a Unidade de Educação Básica Augusto Mochel, localizada na zona rural, foram selecionadas por promoverem suas ações voltadas à sustentabilidade ambiental.

A iniciativa faz parte de parceria entre MDS e Embrapa para implantar hortas pedagógicas nos Estados do Maranhão e Piauí, áreas com alto índice de vulnerabilidade social, visando contribuir para a segurança alimentar e nutricional da população.

O projeto consiste em um conjunto de capacitações que alia técnicas de produção de hortaliças às práticas didático-pedagógicas do colégio, envolvendo toda a comunidade escolar – diretores, coordenadores pedagógicos, professores, alunos, nutricionistas, merendeiras e familiares. Na metodologia proposta, as hortas funcionam como sala de aula aberta e interdisciplinar, nas quais disciplinas básicas e temas transversais podem ser abordados, de forma prática, em todas as etapas do ensino fundamental e médio.

Para o diretor de Departamento de Mobilidade Social, Micro e Pequenos Negócios para a Segurança Alimentar do MDS, Elias Antonio Freire, o projeto deverá melhorar a qualidade da alimentação dos alunos e das suas famílias, com benefícios também para a comunidade local. “Queremos contribuir para uma geração de crianças e adolescentes mais bem alimentados, conhecedores dos alimentos saudáveis e adequados para sua vida, por meio da aprendizagem pela experimentação. Os recursos para essa empreitada estão garantidos. A boa interação dos atores locais é imprescindível para o êxito do projeto e para que se expanda para mais escolas.”

Fortalecimento – A Coordenadora-Geral de Micro e Pequenos Negócios para a Inclusão Produtiva do MDS, Kelliane Fuscaldi, considera que o fortalecimento das redes locais é essencial para o sucesso de projeto e que, no município de São Luis, os atores estão realmente engajados na execução da proposta.

Serão realizadas, em 2019, capacitações dos profissionais envolvidos – técnicos, professores, merendeiras, nutricionistas que atendam a escola, diretor, coordenadores, auxiliares de serviços gerais, entre outros – e alunos e pais. A ideia é trabalhar técnicas agrícolas para produção de alimentos (plantio, colheita, pós-colheita, armazenamento e conservação), assim como assuntos relacionados à educação ambiental, como gestão de resíduos, compostagem, novas técnicas de preparo de alimentos dentro dos princípios higiênico-sanitários, nutrição equilibrada e saudável. Parte desses treinamentos teóricos serão realizados por meio de vídeo-aulas e cartilhas, disponíveis também na plataforma virtual, coordenada pela Embrapa Hortaliças. Estão previstas ainda ações de comunicação visando o envolvimento da comunidade local. O projeto terá duração até fim de 2020, podendo ser prorrogado, se houver interesse entre as partes.

No Maranhão, serão parceiros na execução do projeto: a Embrapa Cocais; a Secretaria Municipal de Educação (Semed), por meio do Núcleo de Educação Ambiental (NEA); a Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa); e, a Agência Estadual de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural do Maranhão (Agerp). O projeto também conta com o apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e de outras secretarias municipais associadas.

Plano de trabalho – Antes da implantação das Hortas Pedagógicas, as equipes envolvidas no projeto (gestores e coordenadores pedagógicos) realizaram uma reunião técnica, em novembro, para debater temas como a instalação do Comitê Gestor, a elaboração participativa do plano de trabalho e a discussão da abordagem que será utilizada nas atividades de capacitação previstas para 2019.

Como parte da programação, foram visitadas as duas escolas públicas municipais de São Luís (UEB Jackson Lago e UEB Augusto Mochel) selecionadas para serem pilotos do projeto no Maranhão.

Fonte – MDS

Foto – Divulgação