Incêndio na Toca do Urubu por sobrecarga: De acordo com a Abracopel estamos colecionado tragédias!

Variedades

A tragédia do Ninho do Urubu – e infelizmente, mais uma vez temos a sensação de que estamos convivendo demais com tragédias, foi o incêndio no Centro de Treinamento do Flamengo, que vitimou 10 jovens que sonhavam com as glórias do futebol.

Se se confirmar que a causa do incêndio foi uma sobrecarga no ar-condicionado, então temos
aí mais um dado a acrescentar nas estatísticas exclusivas e inéditas da Abracopel de acidentes
de origem elétrica no Brasil.

Estamos fechando os dados estatísticos do Anuário de 2019, com base nos dados de 2018, e já
podemos adiantar que os números de incêndios originados em sobrecargas e/ou curto-circuito
com o posterior incêndio, AUMENTOU.

Casos como este do Rio de Janeiro não foram a exceção no ano de 2018. Segundo dados da
Abracopel em 2017 foram 451 incêndios deste tipo que resultaram em 30 mortes no país, em
2018 este número cresceu 20%, chegando a 537 ocorrências. Mas o número que realmente
chama a atenção é que as mortes nestes incêndios mais que dobrou, foram 71 mortes em
incêndios gerados por sobrecarga.

O número assusta muito, se pensarmos que quase mais de 80% destas mortes aconteceram
dentro de casa – foram 59 mortes dentro de residências (casas, apartamentos, sítios,
fazendas).

E de quem é a culpa? A culpa é do descaso com que as instalações elétricas são tratadas neste
país. A culpa é de atribuir responsabilidade pelo projeto elétrico de uma casa a um profissional
sem nenhuma experiencia. A culpa é de contratar um ‘zé faísca’ para fazer um reparo, porque
‘ele entende de elétrica’. A culpa é de se comprar produtos, especialmente fios e cabos mais
baratos e inadequados ao projeto (quando ele existe) porque ‘fio é tudo igual e fica dentro da
parede’. A culpa é do governo, do comércio, da indústria, dos profissionais, é minha e é sua.

Mas a culpa não é da Abracopel, que há mais de 14 anos vem realizando ações diretamente
para a população como o Concurso de Redação, Desenho e Vídeo para a garotada; ou seus
Seminários Técnicos itinerantes pelo Brasil, conscientizando e capacitando profissionais, ou de
seu Prêmio de Jornalismo que oferece informações de qualidade para os profissionais de mídia
para que divulguem informações de conscientização em massa.

Há 14 anos a Abracopel vem batendo na mesma tecla: ‘precisamos adequar as instalações
elétricas brasileiras para um mínimo de segurança’; ‘precisamos conscientizar a população
sobre os riscos que elas correm e nem percebem’; ‘precisamos qualificar os profissionais do
setor, para que entendam a importância de seguir e propagar as normas de segurança’. Enfim,
o mantra é quase sempre o mesmo, e mesmo assim continuamos a colecionar tragédias. Até
quando Brasil?

Fonte – Ascom/Abracopel

Foto – Divulgação