INSS-AM e FUNAI promovem oficina sobre atendimento do PREVBarco a indígenas

Variedades

O INSS Amazonas sediou, entre os dias 25 a 27/09, em Manaus, a I Oficina Técnica de Qualificação dos PREVBarcos, com o tema: “Atendendo Indígenas no Amazonas”. O evento foi uma iniciativa de ambos os órgãos e como objetivo principal a exposição do projeto de Atendimento Móvel Flutuante da Previdência Social (PREVBarco) e a articulação de ações conjuntas com a Funai (Fundação Nacional do Índio) para garantir a proteção social em todos os municípios e comunidades indígenas no estado. Estarão presentes servidores da Funai de Brasília e representantes técnicos locais do órgão, bem como equipe de servidores do INSS da Superintendência Norte/Centro-Oeste e Gerência-Executiva do INSS de Manaus e Tefé.

O primeiro dia do evento foi reservado para a apresentação oficial do PREVBarco – unidade móvel flutuante do INSS que realiza atendimentos pelas calhas dos rios amazônicos. O detalhamento das rotas, itinerário 2018 e a divisão das embarcações, bem como possíveis óbices, são tópicos que serão discutidos. Também serão debatidas soluções para melhorar do fluxo de trabalho, tais como a documentação exigida dos segurados, o trabalho em conjunto com as prefeituras, as causas de eventuais indeferimentos dos requerimentos de indígenas, além dos custos envolvidos nas operações.

São Gabriel da Cachoeira e a calha do Rio Negro estiveram na pauta de debates do segundo dia do evento. A inclusão dos indígenas dessa área é vital em virtude da densidade de aldeias e comunidades no entorno do município. Atualmente 96% dos segurados da Agência do INSS do município é formado por indígenas, em especial das etnias Tukano, Baré e Yanomami. Ainda serão discutidos o panorama da Funai na articulação com o INSS e os PREVBarcos, analisando as dificuldades encontradas e as medidas positivas já adotadas no fluxo de 2018.

O terceiro e último dia reserva o planejamento e a estruturação do itinerário para o ano de 2019. A logística para atendimento nas aldeias mais distantes é ponto crucial para a montagem do cronograma, uma vez que o período de enchente e vazante dos rios deve ser observada.

A expectativa é de que, ao término do evento, as entidades firmem um Protocolo de Intenções, etapa embrionária e que gerará um possível Acordo de Cooperação Técnica, o qual permitirá que a própria Funai realize o protocolo dos benefícios previdenciários em seus postos locais. Dessa forma, os indígenas não precisarão se locomover até as Agências do INSS para requerer benefícios.

Fonte – INSS

Foto – Divulgação