Parceria entre pesquisadores e gestores de UCS é destaque em encontro sobre visitação em áreas protegidas

Variedades

Realizado em Manaus no ano passado, o 4° Encontro da Comunidade de Prática de Visitação em Áreas Protegidas lançou recentemente um relatório com os principais temas debatidos no evento, que teve por objetivo fortalecer a colaboração entre pesquisadores e gestores de Unidades de Conservação (UCs) para o desenvolvimento de pesquisas sobre a visitação nestas localidades. O Idesam participou dos painéis de discussão, compartilhando com os participantes sua experiência na atuação junto a UCs.

Na programação do encontro de 2018, além do planejamento das atividades da Comunidade de Prática e discussão sobre futuras parcerias e colaborações, os palestrantes apresentaram suas experiências na aplicação dos resultados de pesquisa no manejo do uso público em UCs e promoveram uma oficina para a construção de um instrumento de pesquisa para o levantamento do perfil e do gasto médio dos visitantes dessas unidades.

O diretor técnico do Idesam, Carlos Koury, abordou o tema “Turismo em UCs de Uso Sustentável”, com foco no trabalho desenvolvido pelo instituto na RDS do Uatumã. Koury destacou o Plano de Gestão da reserva, que dá protagonismo ao turismo e a pesca esportiva e que trata do zoneamento aquático por meio do empoderamento e participação comunitária.

O representante do Idesam também apresentou as características do ambiente, o zoneamento da área e o Plano de Uso Público da unidade. Para se ter uma ideia da dinâmica do turismo comunitário na região, em 2016, a associação de comunitários da RDS obteve R$20 mil de receita de taxa de entrada. Com oito pousadas familiares na UC, o turismo se destaca principalmente por atividades como soltura de quelônios, o Programa Carbono Neutro Idesam, Torre ATTO e visitas acadêmica.

“O uso público deve ser lembrado desde o planejamento até o monitoramento das UCs. As comunidades conseguem enfrentar as questões do dia a dia a partir do empoderamento, sendo assim, elas se sentem incluídas. É muito importante estabelecer elementos de gestão que promovam e ordenem o turismo; e que as pesquisas fora da região possam identificar público e meios de trazer turistas para a Amazônia”, ressalta Koury.

O 4° Encontro da Comunidade de Prática de Visitação em Áreas Protegidas aconteceu em maio de 2018, em Manaus, com visitas técnicas e participação de professores, pesquisadores e estudantes de nove universidades brasileiras (UEA, UFAM, UEPG, UnB, UNIRio, UFRJ, UFJF, UFRRJ, ESALQ/USP), três universidades americanas (Colorado, Montana e Carolina do Norte), gestores de Unidades de Conservação do Amazonas, Acre e Rio de Janeiro (ICMBio), e comunitários de áreas protegidas do Estado. Para saber mais sobre o conceito de Comunidade de Prática e o que mais foi discutido nos painéis, acesse a memória completa do evento na nossa biblioteca.

 

Fonte – Idesam

Foto – Divulgação