Projeto reforça a conservação e realiza maior ação de soltura de peixes-bois da Amazônia

Variedades

O projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia, patrocinado pela Petrobras, realizou nesse fim de semana a soltura de 12 peixes-bois da Amazônia reabilitados, que haviam sido vítimas de caça ilegal ou captura incidental. Foi a maior ação desse tipo já realizada na história. Os peixes-bois da Amazônia (Trichechus inunguis) foram soltos na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Piagaçu-Purus, próximo ao município de Beruri, a 173 km de Manaus.

Os animais selecionados têm idades entre 3 e 16 anos, pesam cerca de 120 quilos e medem em média 2 metros de comprimento. Eles passaram pelo processo de reabilitação no cativeiro, em Manaus, por pelo menos dois anos, e depois por uma etapa de semicativeiro em uma fazenda de piscicultura no município de Manacapuru, durante um ano, antes de serem soltos na Reserva Piagaçu-Purus, onde estão aptos a se alimentarem sozinhos.

Para a gerente de Programas Ambientais da Petrobras, Katia Christina Ferreira, a notícia da recuperação e soltura dos peixes-bois foi recebida com entusiasmo. “Esse é um importante resultado do trabalho de um projeto que integra nosso Programa Petrobras Sociambiental. Esses animais, classificados como ‘ameaçados de extinção’ são um indicador do equilíbrio do ecossistema aquático da bacia amazônica. Preservar o peixe-boi reforça a atuação ambiental responsável da Petrobras, em área de abrangência das atividades da companhia, além de contribuir no relacionamento com a comunidade”, afirma. Com essa ação, o projeto Mamíferos Aquáticos da Amazônia já reintroduziu aos rios da Amazônia 35 peixes-bois.

A operação

A ação teve início no dia 22 de março, o Dia Mundial da Água. A equipe saiu da sede do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), em Manaus, de madrugada e chegou ao amanhecer no lago do semicativeiro, em Manacapuru. Lá, os doze peixes-bois selecionados foram recapturados e retirados do lago um a um e transportados de caminhão até o barco, numa distância de 500 metros.

O barco, ancorado às margens do rio Solimões, estava equipado com três piscinas de fibra para acondicionar os animais durante a viagem de 15 horas até a Reserva Piagaçu-Purus, localizada entre os interflúvios Purus-Madeira e Purus-Juruá. Durante a viagem, os animais foram monitorados em tempo integral.

A chegada dos peixes-bois ocorreu no dia 23 pela manhã, quando foi realizada uma atividade de educação ambiental com os moradores das comunidades da reserva para conscientizar sobre a importância da preservação desses animais. A soltura foi iniciada à tarde, quando oito animais foram devolvidos à natureza. Os outros quatro foram soltos no dia seguinte. Cinco peixes-bois receberam cintos transmissores para monitoramento pós-soltura e os outros sete não serão monitorados em razão do sucesso de 100% na adaptação dos outros indivíduos que já foram reintroduzidos.

 

 

Fonte – Ascom/Petrobrás

Foto – Divulgação