Simpósio de Biologia Aquática e Pesca na Amazônia está com inscrições abertas

Variedades

De 24 a 27 de setembro, o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) promoverá o 3º Simpósio de Biologia Aquática e Pesca na Amazônia (SBAPA), que neste ano tem como tema “Águas amazônicas: conhecer para conservar”. O evento conta mais de 20 palestrantes, entre pesquisadores e estudantes de pós-graduação, e sete minicursos. As inscrições estão abertas.

O Simpósio é organizado pelo Programa de Pós-Graduação Biologia de Água Doce e Pesca Interior (PPG-Badpi) do Instituto. O objetivo é divulgar resultados científicos dos estudantes de Iniciação Científica, mestrado e doutorado, e discutir temas relevantes sobre a biologia aquática da Amazônia. As edições anteriores ocorreram em 2015 e 2017.

“Nosso intuito é estimular o interesse pelos temas do programa entre estudantes universitários e de pós-graduação, assim como colocar em questão os desafios e oportunidades de atuação nessa área”, disse a coordenadora do curso Badpi e uma das organizadoras do evento, Cristina Cox Fernandes.

Palestras, mesas-redondas, minicursos, concurso de fotografias e apresentação de pôsteres integram a programação do evento que será realizado das 9h às 18h, em diferentes locais do Instituto, localizado na André Araújo, 2936, Petrópolis. Os minicursos ocorrerão no dia 24 e as palestras no decorrer dos outros dias. A abertura será no dia 25, às 9h, no Auditório do Bosque da Ciência, no Inpa.

Entre as palestras e mesas-redondas estão: Recife do Amazonas: extensão, biodiversidade e ameaças com Ronaldo Bastos Francini Filho (UFPB), A vegetação de áreas úmidas amazônicas frente a impactos antrópicos e de mudanças climáticas com Maria Teresa Piedade (Inpa), Papel da mulher na Ciência com Vera Maria Fonseca de Almeida Val (Inpa), DNA ambiental com Adolfo Mota (Ufam).

Também compõem a programação as palestras Pesca na Amazônia: situação dos principais estoques e estratégias de manejo com Carlos Edwar Freitas (Ufam), Biodiversidade: o abismo entre o que nós sabemos e o que precisamos saber com William Magnusson (Inpa), Resultados do estudo de longa duração de uma população de botos da Amazônia com Vera da Silva (Inpa), entre outras.

O Simpósio é aberto a estudantes de graduação e pós-graduação. Pela primeira vez no evento, os participantes poderão fazer submissões de resumos acadêmicos e apresentar pôsteres. Os interessados têm até 15 de setembro para inscrever trabalhos.

Postagens e debates prévios podem ser acompanhados pelas redes sociais oficiais do SBAPA 2019 @sbapa2019 (Instragram) e /sbapa2019 (Facebook).

Minicursos

Serão ministrados sete minicursos: Princípios Básicos de Taxonomia de Serpentes com ênfase para espécies aquáticas, Técnicas de Microscopia Aplicada à Biologia de Água Doce, Identificação de Larvas de Peixes Amazônicos, Métodos para o estudo dos golfinhos da Amazônia, Do ovo a completa metamorfose: a vida dos girinos, Métodos de coleta e diversidade de peixes de igarapés de terra firme e Qual o custo da sobrevivência? A difícil missão de um peixe em realocar energia para sobreviver no Antropoceno. Consulte a Programação.

Saiba mais

Criado em 1976, o Programa de Pós-Graduação em Biologia de Água Doce e Pesca Interior do Inpa (PPG-BADPI) é fruto de um convênio com a Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e foi um dos primeiros cursos incluídos na área de Ecologia e Meio Ambiente da Capes, na região norte do país. O Programa possui papel estratégico na formação de recursos humanos especializados, formando grande número de mestres e doutores que estudam os ecossistemas aquáticos amazônicos e seus organismos.

 

Fonte – INPA

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta