Ufam realiza o I Simpósio Processos Civilizadores na PanAmazônia entre 26 e 27 de novembro

Variedades

Na primeira edição, o Simpósio Processos Civilizadores na PanAmazônia (SPCPAM) objetiva compreender a Amazônica, a partir da perspectiva processual e figuracional a teoria de Norbert Elias que visa contribuir na compreensão das redes de interdependências e dos processos sociais no universo amazônico. O SPCPAM acontece nos dias 26 e 27 de novembro, na Faculdade de Ciências Agrárias (FCA), no auditório Samaúma, Setor Sul do Campus Universitário.

O idealizador do primeiro SPCPAM, professor doutor Gláucio Campos Gomes de Matos, disse que a Amazônia, de rios e florestas, ocupada por muita gente – indígenas e não indígenas – está no palco das discussões acadêmicas, econômicas, ecológicas e sociais. Para ele, essa peculiaridade natural e a miscigenação exigem uma abordagem sistêmica das mais diversas áreas do conhecimento.

A conferência de abertura cujo título “Cultura, sociedade e poder: os grupos étnicos no curso do processo civilizador” será proferida pela professora doutora Maria Beatriz Rocha Ferreira da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A professora é pesquisadora especialista em Norbert Elias e o Processo Civilizador e membro da Norbert Elias Foudantion.

De acordo com a coordenação do evento, o prazo para submissão dos trabalhos acontece de até 30 de outubro. As inscrições podem ser realizadas no site: https://1spcpam.wixsite.com/spcpam

Sobre a pesquisadora

Graduada (1972) e Mestre (1980) em Educação Física pela Universidade de São Paulo (1980), Doutorado em Antropologia pela Universidade do Texas, Austin, Estados Unidos (1987), Livre Docente pela Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas (1997). Iniciou a carreira docente na Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo e após o doutorado desenvolveu as atividades na Faculdade de Educação Física da UNICAMP (1988-2012).

Professora Visitante na Universidade Católica de Leuven, Bélgica (1997-1998) e Universidade Estadual do Centro Oeste do Paraná (2001-2003). Desenvolve projetos com equipes do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo , UNICAMP e Nucleo em Inclusão, Movimento e Ensino à Distância da Universidade Federal de Juiz de Fora. Professora Nacional Visitante Sênior da CAPES/UFGD na Faculdade de Educação da UFGD (2012-2017).

Tem experiência na área administrativa como Chefe do Depto de Atividade Física Adaptada e Coordenadora do Laboratório de Antropologia Bio-cultural da Faculdade de Educação Física da UNICAMP. Atualmente desenvolve pesquisas na linha de Educação e Diversidade com enfoque em Antropologia, atuando principalmente em temáticas sobre educação, interculturalidade, esportes tradicionais, povos indígenas e processos civilizadores.

Fonte – Ufam

Foto – Divulgação