Festival Amazonas de Dança inicia na terça-feira (5/11)

Cultura

A nona edição do Festival Amazonas de Dança (FAD) inicia na terça-feira (05/11), no palco do Teatro Amazonas, e segue até o dia 10 de novembro, com apresentações também no Largo de São Sebastião e Teatro da Instalação, reunindo 12 espetáculos contemplados, além de oficinas, palestras e rodas de conversa para o público. O evento, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, tem entrada gratuita em todas as atividades.

A abertura do Festival, que será realizada às 20h, contará com dois espetáculos, a mostra parcial de “Grito” e “Suíte Retratos”, que marcam a estreia do Balé Jovem do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro.

O espetáculo “Grito” (22 minutos), com coreografia de Adriana Goes e direção artística de Baldoino Leite, fala sobre a manifestação do grito no uso do corpo, voz e músculos, usando os gestos e movimentos da dança como ferramentas de reflexão e mudança. Já em “Suíte Retratos” (15 min), o Balé Jovem terá a participação da Orquestra de Violões do Amazonas (Ovam), com regência do maestro Davi Nunes, para encenar obras de importantes compositores brasileiros.

“É um marco histórico lançar oficialmente o Balé Jovem, que será mais um espaço de experimentação e potencialização dos jovens talentos da dança no Amazonas. A estreia no Festival de Dança é bastante significativa, pois este grupo também cria oportunidades para o intercâmbio de novos bailarinos, coreógrafos e diretores, preparando para o mercado de trabalho. Este primeiro grupo é formado por alunos avançados do Liceu, alunos egressos e da comunidade artística”, destaca Baldoino Leite, coordenador do Núcleo de Dança do Liceu.

No encerramento do primeiro dia, já pela mostra oficial do FAD, será apresentado o espetáculo “Ingênuo Amor”, às 21h10, contemplado na categoria de 25 a 30 minutos.

A obra retrata a inexperiência de duas amigas de personalidades distintas, que se envolvem em relacionamentos e refletem sobre o que se deve valorizar em uma relação, até onde é válido lutar por uma paixão platônica e quando se deve parar de insistir para não sofrer e poder levar sua vida adiante. A direção é de Reysson Brandão e a coreografia é de Juliana Borges.

“O espetáculo fala muito do relacionamento romântico entre o homem e uma mulher, e toca em pontos como masculinidade, de como o homem vê o feminino e as formas de se relacionar”, destaca o diretor Reysson Brandão. “Estou muito feliz por poder participar da primeira noite com um espetáculo contemplado em meu nome que será um marco em minha carreira”, complementa.

Espetáculos – O 9º Festival de Dança teve 12 espetáculos contemplados, em três categorias. Na categoria de 10 a 15 minutos, serão apresentados “Ananse”, “Daily Vlog” e “Waranã”.

De 25 a 30 minutos, os espetáculos selecionados são “Aponte”; “Ingênuo Amor”; “Filhos da Terra”, “Memórias do Chão”. Já na categoria de 40 a 45 minutos estão “Enruína”; “Ruína”; “Mithus”; “Chico: o corpo em cores e sons” e “Formas de Dizer Meu Nome”.

Além da mostra oficial, a programação ainda conta com apresentações do Liceu Claudio Santoro, Ovam e também do Corpo de Dança do Amazonas. “O Festival Amazonas de Dança foi construído junto a representantes do segmento e vem diversificado, fortalecido e com espetáculos que prometem mostrar ao público amazonense toda a expressividade do movimento”, destacou o secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.

A nona edição do FAD teve a curadoria do coreógrafo, bailarino e artista plástico Maurício de Oliveira; do b-boy, fundador e diretor da Nativos Crew, Maycon Almeida (Mayking); e da fundadora e diretora da BTA Cia. de Dança e idealizadora e coordenadora da Mostra de Dança de Manaus (Modama).

Oficinas – Entre 6 e 9 de novembro, o FAD oferece ações formativas entre oficinas, palestras, rodas de conversa e vivência com os grupos e companhias envolvidos no festival. A programação tem acesso gratuito.

Serão realizadas oficinas de ballet clássico intermediário, de hip hop, de criação cênica em danças urbanas, de processos criativos, além de palestras, diálogos e vivências com profissionais das companhias.

Para se inscrever e verificar o horário e dia de cada oficina, basta acessar o formulário disponível no link: bit.ly/oficinasFAD. Serão disponibilizadas 40 vagas por ação formativa, onde 30 podem ser requisitadas pelo formulário online e 10 em até 15 minutos antes de cada evento.

Homenageado – Na nona edição do FAD, o homenageado será o bailarino, coreógrafo, diretor artístico e produtor cultural, Jorge Kennedy, que receberá uma placa de homenagem no palco do Teatro Amazonas, no encerramento do evento.

Kennedy nasceu no estado do Acre, na cidade de Rio Branco, e chegou a Manaus em 1980. Desde 1982, vem desenvolvendo uma das mais sólidas carreiras em artes cênicas da região Norte do país. Já são mais de 35 anos dedicados quase que exclusivamente à criação e ao contato profundo com as manifestações culturais do Amazonas.

“É uma alegria e um orgulho grande receber esta homenagem em um festival do qual também fui um dos idealizadores e que ajudei a construir. O FAD é um momento em que todos estamos juntos e podemos criar novos projetos para os bailarinos e bailarinos do futuro. Receber este prêmio me coloca num grupo que lutou e batalhou para que o cenário da dança e as artes prosperassem no Amazonas, e eu agradeço por isso”, declara.

 

Fonte – Secom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta