Adaf realiza palestra sobre Uso Correto e Seguro de Agrotóxicos no Amazonas

Notícias

Na quarta-feira (25/09), a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), por meio da equipe da Gerência de Agrotóxicos e Insumos Veterinários, em parceria com a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino (Seduc-AM), por meio do Centro de Mídias de Educação do Amazonas (Cemeam), realizou uma palestra sobre a importância do Uso Correto e Seguro de Agrotóxicos e Prescrição de Receituário Agronômico.

Produtores rurais e técnicos do Sistema Sepror (Idam, Adaf e ADS) dos municípios de Boca do Acre, Beruri, Careiro Castanho Caapiranga, Tabatinga, Jutaí e Tefé participaram da palestra.

Na ocasião, os engenheiros agrônomos da Adaf, Joaquim Oliveira e Michaell Santos, apresentaram a legislação vigente a respeito do tema, abordando o novo marco regulatório dos agrotóxicos, a classificação da toxicidade para humanos e periculosidade ambiental, a metodologia de aplicação, transporte e armazenamento de agrotóxicos e uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), e a logística reversa das embalagens vazias de agrotóxicos.

“É importante para que técnicos, produtores rurais e público em geral tenham conhecimento da legislação, da metodologia como o agrotóxico é produzido, principalmente no manuseio e aplicação nas lavouras, que é onde acontece o maior número de acidentes de intoxicação”, comentou Joaquim Oliveira.

No Amazonas, a Adaf, como um órgão de fiscalização, tem trabalhado de acordo com a legislação, no sentido de orientar os produtores rurais, visando contribuir com o controle, inspeção, fiscalizando o comércio e a utilização do uso correto e seguro de agrotóxicos na agricultura no estado.

“É de fundamental importância a Adaf, que tem essa função de promover a educação sanitária, levar ao público esse conhecimento”, reforçou Joaquim.

Prescrição do Receituário Agronômico – Durante a transmissão da palestra, Joaquim explicou aos produtores rurais a maneira correta de comprar agrotóxicos, que deve ser feita com a receita agronômica e em revendas devidamente registradas na Adaf.

“O produtor só deve adquirir agrotóxicos quando for orientado por um profissional habilitado que terá a responsabilidade de prescrever o produto para o controle da praga-alvo”, destacou.

O produtor também pode procurar o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal e Sustentável (Idam). Os profissionais do órgão de assistência técnica do Estado irão prescrever o receituário agrônomo, e compete à Adaf a fiscalização da prescrição dos agrotóxicos, que deverão estar registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e cadastrados na Adaf para a cultura e praga, assim como nas dosagens recomendadas.

Cadastro de agrotóxicos – Atualmente no Estado, 541 agrotóxicos são cadastrados junto à Adaf. Os mesmos podem ser conferidos no site da instituição e são atualizados mensalmente. Somente os produtos que estão cadastrados na Adaf podem ser utilizados no Amazonas.

 

Fonte – Secom

Foto – Divulgação

Deixe uma resposta